Abril id

SACAssineLoja
Revistas & Sites Apps Ofertas Últimas Notícias
Saúde
26/06/2009 - 12:05 (atualizada em 26/11/2009 18:11)

Vitiligo explicaria mudança da cor da pele de Michael Jackson

Afro-descendente, astro terminou seus dias com a pele quase transparente; doença severa teria causado a despigmentação

Monique dos Anjos
Tamanho do textoA+A-
Michael Jackson em 1984 e com visual alterado em 2005
Michael Jackson em 1984 e com visual alterado em 2005

Na tarde de quinta-feira (25), o cantor Michael foi internado em um hospital de Los Angeles, após sofrer uma parada cardíaca. Sua morte foi anunciada horas mais tarde. Médicos tentaram, em vão, ressuscitá-lo durante uma hora, segundo declaração de Jermaine Jackson, irmão do cantor.

TUDO SOBRE MICHAEL JACKSON

Diagnosticado com câncer de pele no início de 2009, Michael Jackson teria sido acometido por vitiligo no início da década de 1990. Desde o diagnóstico, não confirmado oficialmente até sua morte, aos 50 anos, Michael mudou drasticamente de tom de pele, apresentando coloração rosada que nada lembra sua cor de nascença.

Como seria a aparência de Michael Jackson sem as cirurgias
Médicos tentaram reanimar Michael Jackson por uma hora

Segundo o dermatologista Celso Lopes, especialista em vitiligo, da Universidade Federal de São Paulo, Unifesp, em casos graves, a doença pode se alastrar em até 85% do corpo, despigmentando a pele do paciente. “Nesses casos, o procedimento mais comum é clarear as áreas ainda pigmentadas, em vez de tentar recuperar a coloração de uma área tão grande.”

A dermatologista Fabiana Simões Pietro, professora da Sociedade Brasileira de Medicina Estética, afirma que vitiligo é uma doença comum. “Uma em cada cem pessoas é acometida por ela”, diz. Acompanhe as declarações dos especialistas e compreenda melhor essa doença de pele.

O que é vitiligo?
Trata-se de uma doença autoimune, ou seja, que acontece quando o organismo deixa de reconhecer certas células do corpo, criando anticorpos para atacá-las. “No caso do vitiligo, os alvos são os melanócitos, células responsáveis pela produção da melanina que pigmenta a pele”, afirma Celso.

É uma doença hereditária?
Não. “Ela é uma doença genética e não hereditária”, afirma Fabiana. “O que significa que o gene da doença será passado de pai para filho, mas se manifestará apenas em quem tiver pré-disposição.”

Nessa equação somam-se fatores ambientais e constitucionais, entre outras possibilidades. “Assim como as demais doenças autoimunes, ela pode ser desencadeada por uma infinidade dos fatores.” Além do componente genético, o aumento dos radicais livres no organismo, também pode alterar as células responsáveis pela produção da melanina.

Fatores emocionais podem influenciar no desenvolvimento da doença?
Ainda não há estudos que comprovem essa teoria. De todo modo, especialistas acreditam que seja possível haver ligação entre traumas severos e o aumento da pré-disposição para desenvolver o vitiligo. Filho de um pai abusivo e sob constante pressão, Michael unia os requisitos para que o quadro se instalasse.

O vitiligo é capaz de se espalhar pelo corpo todo?
Em casos severos a doença pode ocupar até 85% do corpo. “Nesses casos, é mais razoável focar na alteração de cor das partes preservadas do que tentar recuperar a coloração de uma área tão grande. Segundo Celso, esse seria um procedimento comum. “É uma questão estética”, diz. “Muitos paciente recorrem a tratamentos dessa natureza para uniformizar a cor da pele.”

Quais são os tratamentos?
Entre a gama de opções para sanar a doença, estão o uso de substâncias a base de corticóide. “Ela diminui o processo de lesão causado pela ação do anticorpo sobre a melanina”, diz Fabiana. O medicamento pode ser oral, injetável ou tópico, fórmula mais comum. “Procedimentos como fototerapia e laser podem auxiliar a célula a produzir mais melanina”, afirma a especialista.

No início do ano, foi especulado que Michael estaria com câncer de pele. Esse tipo de enfermidade poderia ter relação com o possível diagnóstico de vitiligo?
Pacientes que sofrem com vitiligo perdem parte da proteção natural da pele - função da melanina -, e ficam mais expostas aos rádios ultravioletas. “Sendo assim, crescem as chances de pessoas com esse quadro clínico desenvolverem câncer de pele”, afirma Celso.

Leia mais notícias de Saúde
Leia mais notícias sobre Michael Jackson

Ofertas

 

Assinaturas


Assine

AbrilSAC

Clube do Assinante

iba clube

Grupo Abril


Sobre Abril

Trabalhe Conosco

Anuncie

Classificados

Outros Sites


Brasil Post

Revistas e Sites

Vitrine de Ofertas