Abril id

SACAssineLoja
Revistas & Sites Apps Ofertas Últimas Notícias

Mulher

08/10/2008 - 20:12 (atualizada em 08/10/2008 20:33)

Maconha provoca alterações na libido

Quatro especialistas falam sobre os efeitos do uso da droga nas relações sexuais

Isabela Gaia

Todas as drogas, sejam elas sintéticas ou naturais, fazem parte da química. Como toda composição química, podem, portanto, influenciar no funcionamento do organismo de quem as ingere.

De origem vegetal, a maconha, ou cannabis sativa, possui entre seus componentes o THC, que provoca letargia e diminuição de atividade em alguns receptores, agindo como uma espécie de calmante.

Nesse sentido, o psicólogo supervisor da Área Educacional do Instituto Kaplan, Luiz Amadeu Bragante, aponta o primeiro efeito da droga em relação ao sexo: “algumas pessoas sentem muito sono e não conseguem transar”, diz.

Além disso, “como toda droga, (a maconha) causa certo embotamento. Faz com que a pessoa fique introspectiva, voltada para ela mesma”, explica a psicóloga especializada em sexualidade humana Sandra Vasques.

Ela diz que, nesse estado, a pessoa até consegue ter fantasias sexuais, “mas fantasiar é legal para interagir com o outro, e a maconha acaba fazendo com que a pessoa perca o impulso sexual. Ela perde a condição de ir para o outro, de se relacionar de verdade”.

A introspecção tem seu lado positivo: “você entra em contato com você mesmo mais intensamente, o que é interessante”, diz Amadeu. Mas na hora de fazer sexo, “é interessante só para um ou (se o outro também tiver fumado) para cada um”.

A psicóloga concorda que a pessoa pode até ficar sensível em relação a ela mesma, mas não em relação ao outro. Sem reflexos e com menor percepção de espaço e tempo, “ela perde detalhes do outro”, pode facilmente esquecer o preservativo e inevitavelmente alterar seu desempenho sexual.

“A maconha provoca uma alteração no estado de consciência. Todas as drogas fazem isso. E transar hoje é uma coisa que tem que ter consciência”, resume Amadeu.

Mas o aumento da sensibilidade não é um efeito comum a todos os usuários. O psicólogo especializado em relacionamentos amorosos Alexandre Bez explica que, em geral, a droga pode alterar a percepção sexual, ou faz a pessoa ficar alienada – não tendo mais prazer em nada além da droga, “ela deixa a parte física e orgânica de lado" – ou aumentar a freqüência sexual.

 

Assinaturas


Assine

AbrilSAC

Clube do Assinante

Grupo Abril


Sobre Abril

Fale Conosco

Trabalhe Conosco

Anuncie

Licensing

Classificados

Outros Sites


iba

Brasil Post

Revistas e Sites

Vitrine de Ofertas