Após quase dois anos de trabalho contínuo, o Ballet do IV Centenário está em condições de apresentar-se ao público paulista.

ENTRE os programas culturais e comemorativos do IV Centenário foi planejada a organização do Ballet para a apresentação de espetáculos representativos da evolução internacional dessa arte, bem como criar obras de inspiração tìpicamente brasileira. Dois problemas, entretanto, se apresentaram a princípio: a organização de um corpo de baile de nível artístico superior e um diretor Artístico que, com as funções de um pedagogo, "maitre de ballet" e criador coreográfico, fôsse o principal responsável pela sua idealização e realização.

Do corpo de baile participam, de preferència, elementos nacionais, sem dispensar porém, como é compreensível, a colaboração de artistas estrangeiros.

Para Diretor Artístico, a Comissão do IV Centenário escolheu, entre os coreógrafos de fama internacional, Aurélio M. Millos, que havia alcançado significativos êxitos, colaborando com famosas instituições coreográficas de Paris, Berlim, Budapest, Viena, Estocolmo, Madrid, Buenos Aires, etc., e dirigindo as secções de ballet dos maiores teatros italianos, como o Scala de Milão, Ópera de Roma, Festivais de Florença e Veneza. Chegando a São Paulo, a tempo de participar do juri de seleção, Aurélio Millos iniciou os trabalhos de organização do quadro geral do conjunto e os ensaios técnicos. Além dos ballets criados sôbre músicas já existentes de compositores de renome mundial, como Bach, Scarlatti, Mozart, Verdi, J. Strauss, Ravel, Respighi, Villa-Lobos, Strawinski, Béla Bartók, Casella e Jacques Ibert, foram previstas criações sôbre músicas inéditas de Camargo Guarnieri, Souza Lima e Mignone. foram convidados para projetar os cenários e figurinos os pintores Cândido Portinari, Burle-Marx, Anahory, Noêmia Mourão, Quirino da Silva, Lazar Segall, Di Cavalcanti, Aldo Calvo, Irene Ruchti, Clovis Graciano, Heitor dos Prazeres, Oswald de Andrade Filho, Santa Rosa, Toti Scialoja e Flávio de Carvalho.

A escolha dos assistentes, recaiu em dias artistas de reconhecida capacidade: a paulista Edith Pudelko, cujos êxitos como bailarina nos teatros municipais de São Paulo e Rio de janeiro são bastante conhecidos, e Lia Dell'Ara, renomada bailarina italiana, que ùltimamente dirigiu a Escola de Baile do Teatro Oficial "S.O.D.R.E." de Montevidéu.

A orquestra será a orquestra Sinfônica Municipal. Para regê-la foi contratado o Maestro Nino Stinco, em consideração aos recentes sucessos no Teatro Municipal do Rio de Janeiro e em outras cidades do continente e da Europa. Para a realização dos cenários e figurinos foram criados o "Atelier" de Cenografia, entregue à competente direção de Aldo Calvo, conhecido em nosso meio e com respeitável bagagem de trabalhos realizados na Europa, e o "Atelier" de Costura, dirigido pela renomada técnica, Maria Ferrara.

Depois de quase dois anos de trabalho contínuo, o Ballet do IV Centenário encontra-se em condições de fazer a sua apresentação pública.


QUADRO DO REPERTÓRIO

1º Programa

PASSACAGLIA - Hino coreográfico de Aurelio M. Millos sôbre a música homônima de Johann Sebastian Bach, instrumentada por Ottorino Respeghi. Coreografia de Aurelio M. Millos. Cenário e trajes de Cândido Portinari. Criação coreográfica para o Ballet IV Centenário.
PÉTROUCHKA - Cenas burlescas em quatro quadros de Igor Strawinsky e Alexandre Benois. Música de Igor Strawinsky. Versão coreográfica de Aurelio M. Millos, com cenários e trajes de Roberto Burle-Marx. Essa apresentação coreográfica já foi apresentada em Roma, Milão, Bolonha, Veneza, Budapest, Viena, Dresden, Berlim e Buenos Aires. Quanto à versão cenográfica de Burle-Marx, foi criada diretamente para o Ballet do IV Centenário.
INDISCRIÇÕES - Pequeno espetáculo coreográfico de Aurélio M. Millos. Cenários e trajes de Edoardo Anahory. Criação coreográfica e cenográfica para o Ballet IV Centenário.
FANTASIA BRASILEIRA - Ballet alegórico em um ato, de Souza Lima e Aurélio M. Millos. Música de Souza Lima. Coreografia de Aurélio M. Millos. Cenários e trajes de Noêmia Mourão. Criação absoluta para o Ballet do IV Centenário.

2º Programa

NO VALE DA INOCÊNCIA - ballet - idílico concertante, de Aurelio M. Milloss sôbre a música "Divertimento, K 131" de Wolfgang Amadeus Mozart. Coreografia de Aurelio M. Milloss. Cenário e trajes de Quirino da silva. Criação coreográfica e cenográfica para o Ballet do IV Centenário.
O MANDARIM MARAVILHOSO - Ballet dramático em um ato. Argumento de Menyhért Lengyel. Música de Béla Bartók. Coreografia de Aurelio M. Milloss. Cenário e trajes de Lasar Segall. A presente coreografia já foi apresentada em Milão e Roma. Quanto a cenografia de Segall, foi criada diretamente para o Ballet do IV Centenário.
LENDA DO AMOR IMPOSSÍVEL - Ballet místico em um ato. Argumento, cenário e trajes de Emiliano Di Cavalcanti. Coreografia e ambiente sonoro de Aurelio M. Milloss. Criação absoluta para o Ballet do IV Centenário.
LOTERIA VIENENSE - Ballet satírico em dois quadros. Argumento e coreografia de Aurelio M. Milloss sobre várias músicas de Johann Strauss, instrumentadas por Cláudio Santoro. Cenários e trajes de Aldo Calvo. O presente ballet já foi apresentado em Roma e Milão com exceção da cenografia de Calvo e instrumentação de Santoro, que foram criadas diretamente para o Ballet do IV Centenário.

3º Programa

AS QUATRO ESTAÇÕES - Divertimento coreográfico da ópera "I Vespri Siciliani" de Giuseppe Verdi. Versão coreográfica de Aurelio M. Milloss, com cenário e trajes de Irene Ruchti. Essa versão coreográfica já foi apresentada em Roma, Milão, Zagreb, Viena, Berlim, etc. Quanto à versão cenográfica de Irene Ruchti, foi criada diretamente para o Ballet do IV Centenário.
UIRAPURÚ - Poema coreográfico em um ato. Argumento e música de Heitor Villa-Lobos. Versão coreográfica de Aurelio M. Milloss, com cenário e trajes de Clovis Graciano. Criação coreográfica e cenográfica para o Ballet do IV Centenário.
O GUARDA-CHUVA - Comédia coreográfica em um ato. Argumento de Oswald de Andrade Filho. Música de Francisco Mignone. Coreografia de Aurelio M. Milloss. Cenário e trajes de Heitor dos Prazeres. Criação absoluta para o Ballet do IV Centenário.
BOLERO - Alucinação coreográfica de Aurelio M. Milloss sôbre a música homônima de Maurice Ravel. Coreografia de Aurelio M. Milloss. Cenário e trajes de Oswald de Andrade Filho. A presente coreografia já foi apresentada em Roma, Milão, Madrid, Barcelona e Buenos-Aires. Quanto a cenografia de Andrade Filho, foi criada para o Ballet do IV Centenário.

4º Programa

DELICIAE POPULI - Concêrto mímico em cinco movimentos de Aurelio M. Milloss sôbre a música "Scarlattiana" de Alfredo Casella. Coreografia de Aurelio M. Milloss. Cenários e trajes de Tomás Santa Rosa. O presente ballet já foi apresentado em Paris, Estocolmo, Roma, Buenos Aires e Florença, com exceção da cenografia de Santa Rosa que foi criada diretamente para o Ballet do IV Centenário.
SONATA DE ANGÚSTIA - Ballet - mistério em três tempos de Aurelio M. Milloss, para ser executado simultâneamente com a música "Sonata para dois pianos e instrumentos de percusão" de Béla Bartók. Coreografia de Aurelio M. Milloss. Cenário e trajes de Darcy Penteado. Criação coreográfica e cenográfica para o Ballet do IV Centenário.
CAPRICHOS - Sarcasmos tragi-cômicos de Aurelio M. Milloss - em tôrno das músicas de "Deux petits Suites" de Igor Strawinsky. Coreografia de Aurelio M. Milloss. Cenário e trajes de Toti Scialoja. O presente ballet já foi apresentado em Roma.
CANGACEIRA - Retrato coreográfico de Mozart Camargo Guarnieri, Flavio de Carvalho e Aurelio M. Milloss, em forma de "tema com 8 variações". Música de Mozart Camargo Guarnieri. Coreografia de Aurelio M. Milloss. Cenário e trajes de Flavio de Carvalho. Criação absoluta para o Ballet do IV Centenário.








A volta do ballet do IV Centenário
Os bailarinos do IV Centenário
Entrevista com Ismael Guiser
Grupos de dança de São Paulo
Programação para os 450 anos da cidade no Teatro Municipal






Lia Dell'Ara, Eduardo Sucena e Alzira Máttar.



Figura formada por Noêmia Wainer, Juan Juliano e Edith Pudelko, respectivamente da esquerda para a direita. O "Ballet do IV Centenário", pelo seu elenco, está fadado a ter um grande sucesso.



Raul Severo, Ady Addor e Cristian Uboldi, contando-se de cima para baixo. O "Ballet do IV Centenário" será uma verdadeira apoteose das comemorações dos 400 anos paulistas.



Ady Addor. Como se vê, a beleza está presente no "Ballet do IV Centenário". Beleza que vem sendo modelada com grande apuro.







OS "DONOS" DO BALLET
Aí estão os responsáveis diretos pelo êxito do "Ballet do IV Centenário". Da esquerda para a direita : AURELIO M. MILLOS, diretor artístico, coreógrafo e "maitre de Ballet". NINO STINCO, regente da orquestra. MARIA FERRARA, superintendente da oficina de costura, e ALDO CALVO, diretor do atelier de Cenografia. São uma garantia.