Arquivo

Textos com Etiquetas ‘brasil’

Dunga aponta Brasil, Itália e Espanha como favoritos para vencer a Copa

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O técnico Dunga afirmou nesta quinta-feira (27), durante a primeira coletiva na África do Sul, que além do Brasil, os outros favoritos para conquistar a Copa do Mundo de 2010 são a Espanha, atual campeã da Eurocopa, e a Itália, atual campeã do mundo.

“Mas isso [favoritismo] não assegura nada. É jogo e cabe a nós tentar fazer com que essas apostas sejam verdadeiras”, disse Dunga, sobre o Brasil liderar, ao lado da Espanha, as apostas na Inglaterra.

Leia mais notícias de Esportes na página do Abril.com

Em seguida, o treinador e o assistente Jorginho afirmaram que enxergam no atual grupo muitas qualidades de equipes vencedoras em que já estiveram, nos tempos de jogadores. E essa é uma das razões que deixam o Brasil favorito. “Esse grupo se assemelha muito ao grupo de 1994, o jogador tem um grande respeito pelo outro que está jogando. Os atletas se respeitam, vocês podem ver nas entrevistas a admiração que um tem pelo outro. Mas no treinamento todo mundo estão dando o melhor de si para tentar buscar o seu espaço”, disse Dunga.

Dunga deu a entender que conseguiu atingir essa mentalidade ao acabar com os lugares cativos das estrelas. “Quando eu fui contratado, um dos objetivos era de resgatar o amor por jogar na seleção. Quando eu cheguei, havia muito pedido de dispensa de jogador e agora é diferente. Tem lobby de clube, dirigente, empresário, jogador….Todo mundo quer jogar na seleção. Tem jogador que briga com o clube para jogar. Esse objetivo, nós já conseguimos”, afirmou.

Jorginho pegou carona no raciocínio de Dunga e falou sobre a evolução do time desde que eles assumiram, há 3 anos e oito meses. “As conquistas iniciais foram importantes para afastar a desconfiança no nosso trabalho, mas a conquista mais importante esta por vir. Então temos de continuar trabalhando”, disse o ex-lateral.

No final, Jorginho falou sobre o comprometimento dos jogadores. “Eu vejo nos olhos de cada atleta esse desejo profundo de vencer”, encerrou.

Seleção dribla imprensa e sai pelo terminal de cargas do aeroporto de Johannesburgo

Foto: reuters

Foto: reuters

Logo que chegou no aeroporto, o grupo com os jogadores e a comissão técnica da seleção brasileira foi isolado dos passageiros normais e saiu pelo terminal de cargas rumo ao Hotel Fairway, local da concentração da equipe para a disputa da Copa do Mundo.

Leia mais notícias de Esportes na página do Abril.com

Nem os jogadores nem o técnico Dunga falaram com a imprensa. Ainda não está confirmado se haverá treino nesta quinta-feira. O zagueiro Lúcio e o lateral Maicon, campeões com a Inter de Milão, não passaram pelo Brasil e viajaram diretamente da Itália para a África do Sul. Os jogadores já se juntaram à delegação brasileira . (Fonte: Agência Estado)

Seleção brasileira é a segunda a chegar à África do Sul

Foto: AP Photo

Foto: AP Photo

Depois da seleção da Austrália, a delegação da seleção brasileira foi a segunda a chegar na África do Sul. Por volta das 2h10 (horário de Brasília), desta quinta-feira, o avião pousou na África do Sul para a disputa da Copa do Mundo.

Leia mais notícias de Esportes na página do Abril.com

Depois de passarem pela alfândega, os jogadores e comissão técnica foram de ônibus para hotel. O zagueiro Lúcio e o lateral Maicon viajaram direto da Itália para a África, onde se juntaram a seus companheiros ainda no aeroporto. O treino desta quinta-feira ainda não está confirmado. (Fonte: Gazeta Press)

Brasil será recebido com festa em hotel de Johanesburgo

26, maio, 2010 1 comentário

A seleção brasileira será recebida com festa no hotel Fairway, onde ficará hospedada na cidade de Johanesburgo, na África do Sul. Os torcedores já se aglomeraram em frente ao local com camisas e até réplicas da taça. Bandeiras brasileiras também foram espalhadas perto do portão de acesso ao hotel.

Leia mais notícias de Esportes na página do Abril.com

A administração do Fairway, porém, prometeu garantir a privacidade do técnico Dunga e seus comandados. A seleção canarinho deixou a concentração em Curitiba no início da tarde desta quarta e seguiu para Brasília, onde foi recepcionado pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em Brasília.

No fim da tarde, em um voo fretado, o time brasileiros embarcou para Johanesburgo, que sediará os dois primeiros jogos da seleção na Copa, diante de Coreia do Norte e Costa do Marfim. O terceiro duelo será contra Portugal, em Durban.

Dunga dará ritmo de jogo aos atletas em dois amistosos. No dia 7 de junho, a seleção vai à cidade de Dar El Salaam, na Tanzânia, para enfrentar o conjunto local. Já no dia 2, a CBF espera confirmar um duelo contra outra frágil equipe, o Zimbábue. (Fonte: Gazeta Press)

 

As seleções que entraram para a história como “micos” em Copas do Mundo

Por Daniel Cristovão

Brasil, Espanha, Inglaterra e Argentina vão para a África do Sul como os principais candidatos ao título. Basta olhar qualquer bolsa de aposta para ver que estão na casa do 2 pra 1. Dunga chega com a mesma formação vencedora da Copa das Confederações.

Maradona jogará com um time recheado de atacantes que vem dando as cartas no futebol europeu, e a Espanha como a grande força do Velho Continente, que faturou a Eurocopa 2008. A Inglaterra aposta nas grandes estrelas de seu elenco, além da estratégia do técnico Fabio Capello.

Leia mais notícias de Esportes no Abril.com
 
Mas exemplos do passado mostram que nem sempre o favorito levanta a taça e muitos deles caíram precocemente. E esse é justamente o cuidado a ser tomado por esses quatro países, que terão de driblar suas condições de candidatos ao título para conquistar o Mundial.

Veja, então, os 12 maiores fracassos em Copas do Mundo:
 
henry-getty-1501 – França (2002)
A França chegou à Copa da Coréia do Sul e do Japão como a principal candidata ao título. Cabeça de chave do grupo A, os “azuis” tinham na maturidade de um time completo liderado por Zinedine Zidane o mote para conquistar o bicampeonato do mundo. Thierry Henry e David Trezeguet formavam o ataque do então melhor time do mundo, vencedor da Eurocopa em 2000. O início desastroso contra Senegal, derrota por 1 a 0 parecia somente um tropeço, mas o empate com o Uruguai causou pânico. A derrota para a Dinamarca na última rodada e a volta pra casa ainda na primeira fase decretaram o maior “mico” de uma seleção na história das Copas, que nem a ausência de Zidane nos dois primeiros jogos foi capaz de amenizar.

zico-1982-getty-1502 – Brasil (1982)
O Brasil não ganhava nada desde 1970, mas seu time formado por craques ficou famoso por levar à Espanha o “futebol-arte”. Liderado por Zico, Sócrates, Falcão, Junior e Toninho Cerezo, o time comandado por Tele Santana dava indícios de que o jejum de 12 anos estava com os dias contados. Venceu União Soviética por 2 a 1, Escócia, por 4 a 1 e Nova Zelândia por 4 a 0. Nas quartas-de-final não tomou conhecimento da Argentina e enfiou 3 a 1 com Maradona do outro lado e despachou os campeões pra casa. Precisava apenas de um empate contra a Itália para ir à semifinal. Mas parou em uma “tripleta” de Paolo Rossi e perdeu por 3 a 2 para espanto geral. Pelo menos, ficou para a história por ter apresentado um estilo de jogo dos mais bonitos de todos os tempos.
 
van-basten-getty-1503 – Holanda (1990)
Campeões europeus de 1988 com um timaço, os holandeses eram a sensação da Copa antes de ela começar. O talento de Van Basten, Gullit, Rijkaard e Koeman não foi suficiente para levar a segunda edição da laranja mecânica além das oitavas-de-final. Na primeira fase, passou sufoco e se classificou com três empates e só dois gols marcados. Nas oitavas-de-final, perdeu para a pragmática seleção alemã de Lottar Matthaus, Klinsmann e Voller, que acabou sagrando-se campeã contra a Argentina. E os holandeses deram adeus ao Mundial da Itália sem nenhuma vitória.
 
platini-getty-1504 – França (1986)
O time da França que começou a Copa de 1986 vinha sendo formado desde 1978, quando caiu na primeira fase. Em 1982, ficou em quarto lugar, perdendo a vaga na final para Alemanha. Em 1984, ganhou a Eurocopa, e, dois anos depois, Platini chegava cotado para ser o craque do Mundial. A classificação foi suada. Vitória sobre o Canadá por 1 a 0, empate em 1 a 1 com a União Soviética e vitória por 3 a 0 sobre a Hungria. Nas oitavas, bateu a Itália por 2 a 0 e, nas quartas-de-final, o Brasil nos pênaltis. O time do técnico Henri Michel e que ainda tinha jogadores como Fernandez, Giresse, Tigana e Rocheteau via a taça perto, mas na semifinal “amarelou” contra a “envelhecida seleção” da Alemanha e perdeu por 2 a 0, caindo pela segunda vez consecutiva diante dos alemães.
 
garrincha-brasil-1505 – Brasil (1966)
Ninguém podia imaginar que o Brasil perderia a Copa de 1966. Com astros como Pelé e Garrincha na lista, quem apostaria em outra seleção? Pois o Brasil não só perdeu a chance do tricampeonato como deu adeus na primeira fase. E a lambança começou na preparação do time. Vicente Feola precisava chamar 22 e convocou 47. Resultado, ninguém se entendia em campo. No primeiro jogo, com a dupla Pelé e Garrincha em campo, o Brasil venceu fácil a Bulgária por 2 a 0. Sem Pelé, machucado, a seleção brasileira perdeu a segunda partida por 3 a 1 para a Hungria. Vicente Feola mudou o time todo com exceção de Jairzinho e Lima, incluindo o retorno de Pelé. O rei, cassado pelos zagueiros lusos, nada pôde fazer, e Portugal de Eusébio fez 3 a 1. Os bicampeões davam adeus na Inglaterra.
 
rivera-italia-15016 – Itália e Espanha (1966)
A Itália protagonizou em 1966 uma das maiores zebras na história das Copas ao perder a vaga no último jogo da primeira fase, sendo derrotada por 1 a 0 para a Coreia do Norte. A eliminação na primeira fase poderia ter sido evitada. Ganhou do Chile por 2 a 0 com gols de Mazzola e Barison e depois perdeu para a União Soviética por 1 a 0 no segundo jogo, chegando na última partida da fase de grupos precisando vencer para classificar, um dos fiascos históricos da azurra, que seria campeã europeia dois anos depois. A Espanha era a atual campeã europeia, título conquistado em 1964, e entrou na Copa da Inglaterra como uma das favoritas. Mas foi eliminada na primeira fase ao perder para Argentina e Alemanha. Ganhou apenas da Suíça. Todos os placares, tanto vitória quanto derrota por 2 a 1.

ronaldo-2006-1507 – Brasil (2006)
O time de Parreira desembarcou na Alemanha com pompas de favoritíssimo. Levava no currículo o título da Copa América e da Copa das Confederações, além de ser o detentor do título mundial. A equipe contava ainda com o quarteto mágico, formado por Ronaldinho Gaúcho, melhor jogador do mundo da FIFA, Kaká, Ronaldo e Adriano, o Imperador de Milão, na melhor forma. Ninguém esperava menos do que a final. Nem os franceses, adversários das quartas-de-final, que, com um time de aposentados, como Zidane, eliminou o Brasil mais uma vez numa Copa. O capitão queria uma despedida da seleção francesa à altura e colocou o Brasil na roda ao lado de Henry, autor do gol que eliminou a chance do hexacampeonato. Na primeira fase, vitórias, sem convencer, sobre Croácia, Austrália e Japão e, nas oitavas, triunfo contra Gana.

maradona-1994-getty-1508 – Alemanha e Argentina (1994)
Depois de duas finais entre alemães e argentinos (1986 e 1990), imaginava-se que ambos estavam entre os favoritos à taça do Mundial da 1994. Mas a Alemanha de Matthaus e Klinsmann cedeu ao calor e à Bulgária a vaga nas semifinais, considerado até hoje como uma das grandes zebras de todas as Copas. Os argentinos vinham de uma surra para a Colômbia nas eliminatórias por 5 a 0. Maradona voltou e juntou-se a Batistuta e Redondo para tentar levar o time às finais. O doping de Maradona derrubou todo o time que havia vencido a Grécia por 4 a 0 e a Nigéria por 2 a 1. Depois veio a derrota para a Bulgária por 2 a 0 e a eliminação nas oitavas-de-final para a Romênia.

9 – União Soviética (1962)
yashin-sovietica-150O melhor goleiro do mundo, Yashin, era um dos heróis do time campeão europeu de seleções em 1960. Mantida a equipe formada em 1958, a União Soviética não teve problemas para classificar-se para a Copa com 100% de aproveitamento – quatro vitórias. Logo de cara, na fase de grupos um tira-teima contra a Iugoslávia, que tinha perdido a final da Eurocopa para os soviéticos em 1960. Os russos fizeram 2 a 0 e não deixavam dúvidas de que eram favoritos. Na segunda partida, venciam a Colômbia com facilidade por 4 a 1 e permitiram o empate. Bateram o Uruguai por 2 a 1 e seguiram no torneio. Nas quartas-de-final, diante dos chilenos, donos da casa, esqueceram de jogar futebol e perderam por 2 a 1. O resultado foi tão surpreendente que a torcida festejou madrugada adentro como se tivessem vencido a Copa.

raul-getty-15010 – Espanha (1998)
A Fúria, como é conhecida a seleção da Espanha ainda não conquistou uma Copa do Mundo. Para os espanhóis, não passaria de 1998. As esperanças estavam na campanha incrível – de 1994 até 1998, a seleção havia perdido apenas uma partida – e nos jogadores Raúl, Hierro, Luis Enrique, Sergi e o goleiro veterano Zubizarreta. O primeiro objetivo, estrear com vitória, o que não ocorria desde 1950. Esqueceram de combinar com os Nigerianos e perderam por 3 a 2. A vitória no segundo jogo era obrigação, mas o ataque espanhol parou em Gamarra e Chilavert e ficou no 0 a 0 com o Paraguai. O último jogo era torcer contra os paraguaios e vencer os búlgaros. A Espanha fez 6 a 1 em vão. Voltou pra casa após o triunfo do Paraguai sobre a Nigéria.

figo-portugal-15011 – Portugal e Argentina (2002)
Foi a primeira vez na história que Portugal chegou a uma Copa do Mundo como favorita. Figo, na época o melhor do mundo da Fifa, Nuno Gomes e Pauleta comandavam uma geração que encantava a Europa. Mas a nação portuguesa que sonhava em ver sua seleção em voos mais altos desde os tempos de Eusébio, na década de 60, lamentou a eliminação na primeira fase após derrotas para Estados Unidos e Coreia do Sul. Tanto que em 2004 fez a final da Eurocopa com a Grécia. Seria a consagração desta geração, mas perdeu em casa. A Argentina de Zanetti, Samuel, Aimar, Ortega e Batistuta também deu vexame ao cair na fase de grupos após derrota para Inglaterra e empate com a Suécia.
 
zoff-italia-getty-15012 -  Itália (1974)
O vice-campeonato em 1970 parecia ter sido um acidente para os italianos, que começaram a participação em 1974 entre os candidatos ao título. Começaram o torneio na Alemanha invictos. Não perderam nenhum jogo nas eliminatórias e mantiveram a base da equipe que caiu diante do timaço do Brasil quatro anos antes. Mas a azurra fez feio e não passou da primeira fase. Na estreia contra o Haiti, começou perdendo, mas conseguiu virar e fechou o jogo em 3 a 1. Depois empatou com a Argentina de Kempes por 1 a 1 graças ao goleiro Zoff. Pegou a Polônia no último jogo embalada pela goleada por 7 a 0 no Haiti e perdeu por 2 a 1. Mazolla, Capello e companhia voltavam pra casa tendo que explicar o feito de cair tão cedo.

Cristiano Ronaldo teme cobrança e diz não jogar sozinho

Meia do Real Madrid prevê dificuldade na Copa / Getty Images

Meia do Real Madrid prevê dificuldade na Copa / Getty Images

Cristiano Ronaldo há tempos é a maior estrela da seleção portuguesa, mas dispensa o rótulo de esperança lusa na Copa do Mundo, temedo uma possível cobrança excessiva na África do Sul. Em um grupo complicado, ao lado de Brasil, Costa do Marfim e Coreia do Norte, ele não se vê em condições de assumir sozinho a responsabilidade pelos resultados. Precisará da ajuda dos companheiros.

“Eu não jogo sozinho e não faço milagres”, avisou o meia do Real Madrid, da Espanha. “Se o time jogar bem, acho que podemos ir tão longe quanto for possível. O grupo tem um grande espírito de equipe”, continuou o jogador, ao admitir que Portugal não aparece entre os favoritos à conquista do Mundial. Para chegar a tanto, seria necessário mais atletas do mesmo nível do craque português.

Leia mais notícias de Esportes na página da Abril.com

“Não é suficiente ter apenas dois ou três jogadores bons. Para uma equipe vencer a Copa do Mundo, você não precisa necessariamente de 11 (bons jogadores), mas sete ou oito em muito boa forma. É assim que se vence um Mundial”, opinou o jogador, que chegou nesta sexta-feira a Covilha, em Portugal, onde a seleção de Carlos Queiróz faz a preparação para a competição. (Fonte: Gazeta Press)

 

Robinho se diz preparado e defende trabalho de Dunga

Robinho: "Brasil pode ser campeão mesmo sem Neymar e Ganso"

Robinho: "Brasil pode ser campeão mesmo sem Neymar e Ganso"

O atacante Robinho, uma das principais esperanças da seleção brasileira para a disputa da Copa do Mundo, na África do Sul, garantiu estar preparado para ajudar o Brasil a conquistar o seu sexto título mundial. Grato ao Santos por tê-lo ajudado a recuperar o seu futebol, já que estava em baixa no Manchester City (Inglaterra), no começo do ano, quando ficava na reserva do time inglês, o ‘Rei das Pedaladas’ comemorou a boa fase e falou sobre o seu desejo de ser campeão mundial.

“Estou vivendo uma fase muito boa. Essa volta ao Santos foi muito boa para mim. Hoje me sinto bem preparado, psicologicamente e fisicamente. Chego muito bem para a disputa dessa Copa do mundo, que era o que eu queria quando voltei para o Santos. Espero chegar lá (África do Sul) e se Deus quiser vou representar bem o meu país”, comentou.

Leia mais sobre Esportes na página da Abril.com

Motivado para a conquista da Copa do Mundo, o atacante também saiu em defesa do trabalho do técnico Dunga, contestado por torcedores e por boa parte da imprensa. “Ele é um excelente treinador e os números mostram que o retrospecto dele tem sido muito positivo até agora. O Dunga foi campeão de todos os torneios que disputou com a seleção principal (com a sub-23 ficou com a medalha de bronze nas Olimpíadas de Pequim, em 2008)e classificou para a Copa com certa folga. Isso tudo precisa ser levado em conta”, analisou.

Considerado dos homens de confiança do comandante da seleção, Robinho ainda argumentou que a convocação de Dunga foi bem feita e que, mesmo a com a ausência de jogadores do potencial de Paulo Henrique e Neymar, seus companheiros no Peixe, o Brasil está forte para buscar o título.

“Se tratando de seleção brasileira, qualquer convocação vai acabar sendo contestada. Você pode deixar jogadores de qualidade como o Neymar e o Ganso de fora e pode ser campeão. A seleção que está indo têm jogadores de muita qualidade e têm condições de vencer a Copa”, concluiu. (Fonte: Gazeta Press)

Felipe Melo promove festa com grupo Jaula das Gostosudas antes de apresentação, diz jornal

Foto: Getty Images/Divulgação

Foto: Getty Images/Divulgação

A coluna “Retratos da Vida”, do jornal “Extra”, do Rio de Janeiro, publicou nesta quinta-feira (20), que o volante da Juventus e da Seleção Brasileira, Felipe Melo, teria promovido uma festa em uma casa alugada na Estrada do Pau Ferro, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Ainda de acordo com a publicação. As casas noturnas “termas Centaurus” e “4×4” teriam oferecido convidadas, mas o ex-flamenguista não aceitou e disse que preferia que elas conquistassem “no talento”.

Leia mais notícias de Esportes no Abril.com

Para animar as convidadas, houve apresentação do cantor “Mumuzinho” e dos grupos “Imaginasamba”, “Bom Gosto” e “Jaula das Gostosudas”, que se apresentaram apenas de lingeries. Felipe teria sido chamado ao palco para interagir com as cantoras no momento em que as meninas cantavam o hit “É proibido usar calcinha”.

Felipe teria se encantado com uma das meninas do grupo e passado a noite no Hotel Windsor. “Ele prometeu que, se ganhar a Copa, fará uma outra festa dessa”, disse Saint Clair, empresário da Jaula das Gostosudas, à coluna “Retratos da Vida”.

Antes de se apresentar à Seleção Brasileira, na cidade de Curitiba, na sexta-feira (21) pela manhã, haverá uma outra “despedida”, só que, desta vez, o evento será bem mais reservado. Como é evangélico e casado, Felipe reunirá parentes para um culto em uma igreja no bairro Voldac, em Volta Redonda.

Ronaldinho Gaúcho diz que não assistirá jogos do Brasil na Copa do Mundo

Foto: Massimo Cebrelli/Getty Images

Foto: Massimo Cebrelli/Getty Images

A não convocação para a Copa do Mundo de 2010 parece ter abalado o ex-melhor do mundo Ronaldinho Gaúcho. O meia-atacante do Milan declarou  que irá torcer pelo Brasil, mas que não assistirá as partidas pela televisão.

VEJA MAIS NOTÍCIAS DE ESPORTE EM ABRIL.COM

“Eu vou torcer pelo Brasil, mas não vou assistir à Copa. Eu gosto de jogar, não de assistir”, afirmou Ronaldinho, à rádio italiana Montecarlo, durante o anúncio dos concorrentes ao prêmio Golden Foot.

Ainda na conversa com a emissora de rádio, Ronaldinho falou sobre o seu clube atual, o Milan. O gaúcho mostrou apoiar o nome do ex-zagueiro Mauro Tassotti, assistente técnico do clube desde 2001, como o substituto do brasileiro Leonardo, que se despediu do time no último sábado.

Fisioterapeuta do São Paulo diz que Kaká e Luís Fabiano não preocupam para a Copa

Foto: Reuters

Foto: Reuters

Depois de chegarem juntos ao Brasil, o meia Kaká e o atacante Luís Fabiano seguiram ao CT do São Paulo para serem avaliados pelo fisioterapeuta Luiz Alberto Rosan. Ele garantiu que os dois já estão em tratamento no Reffis e que não preocupam para a Copa do Mundo.

Em entrevista ao programa Redação Sportv, na manhã desta terça-feira, o fisioterapeuta afirmou que os atletas foram avaliados e não serão problemas para o Brasil na Copa do Mundo. “O Luís Fabiano e o Kaká já estão no São Paulo, em tratamento. Os dois têm queixas de lesões musculares na coxa esquerda, que é natural por causa da longa temporada europeia que eles enfrentaram”, disse o responsável pela fisioterapia no Tricolor.

Leia mais notícias de Esportes no Abril.com

Quem está em uma condição melhor é Kaká, que já estava em recuperação no Real Madrid. “O Kaká teve uma sobrecarga de trabalho, por ter ficado 45 dias parado. Ele ficou fora para não ter uma complicação, um edema, foi precaução e já praticamente não tem sintomas”, falou Rosan. “A pubalgia já não o incomoda mais, só a coxa”, completou.

Apesar de não estar tão bem quanto Kaká, o Fabuloso também não preocupa. “A lesão do Luís Fabiano é leve, mas ainda precisamos aguardar a evolução. Mesmo assim, não é uma preocupação”, declarou o fisioterapeuta.

Segundo Rosan, a avaliação que ele fez não é final. “Quando eles se apresentarem à seleção, o Runco e a equipe dele farão mais avaliações clínicas e físicas, mas eu os vejo bem. O que eles estão sentido é natural, não me preocupam”, finalizou, para tranquilizar o técnico Dunga. (Fonte: Gazeta Press)